Rede pública de ensino volta as aulas

10 02 2011

Nesta quinta-feira (10) oficialmente iniciam as aulas na rede pública de ensino. Será que está tudo certo para atender mais de 300 escolas do Distrito Federal com professores em todas as salas e merenda escolar para todos os alunos? A secretária de educação, Regina Vinhaes Gracindo, garante o início do ano letivo com escolas e professores suficientes para atender toda rede pública. Os últimos ajustes devem se estender durante essa semana, quando a secretária promete dar prosseguimento à convocação de professores temporários, iniciada nos últimos dias. Ao todo, cerca de 2,6 mil docentes, selecionados por meio de concurso público, devem ser chamados.

A fim de garantir condições para que os alunos retornem às escolas, na última semana a Secretaria de Educação firmou contrato com as cinco empresas que prestarão o serviço de transporte escolar no DF. Um investimento de R$ 664 mil por mês — o que representa uma economia de 50% em relação ao valor gasto pelo governo anterior, quando o serviço foi prestado via contrato emergencial. Regina afirma ainda que, para garantir a merenda nas escolas, foi contratado um reforço de 1,5 mil cozinheiros por meio de duas empresas terceirizadas.

Com relação ao deficit de quase 3 mil professores na rede, ela assume que existem vagas no quadro da Secretaria para a contratação de profissionais, mas que não é possível fazer nomeações imediatas por não haver previsão na lei orçamentária do DF para o contingente extra. “Se fizéssemos, isso seria ilegal. Vamos tentar um diálogo na Câmara Legislativa para avaliar o que é possível ser feito em termos de orçamento, mas sem promessas”, pondera. Regina Vinhaes considera que o desentendimento em relação a um aviso publicado no site da pasta — que anunciou a possível contratação de 1,5 mil professores, quando na verdade apenas as 400 vagas abertas pelo edital do concurso seriam preenchidas — abalou sua relação com os professores nesse início de governo. “Foi um erro que não poderia ter acontecido, tenho consciência disso”, avalia a secretária, reafirmando que a expectativa é que, com a volta às aulas, o mal-estar seja superado. 

Para receber os alunos no início do ano letivo, a Secretaria de Educação fez uma operação de emergência na estrutura de 300 escolas do DF. Outras 12, condenadas pelo Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) no ano passado, já começam a passar por uma ampla reforma. O aluguel de locais privados foi a alternativa encontrada pela secretária para suprir um deficit de cerca de 50 salas de aula em todo o DF.

Colaborou Keyla Reis com informações do Correio Braziliense – Foto: Google


Actions

Information

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s




%d bloggers like this: